Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Governo dos EUA inicia investigação sobre acidente fatal com veículo da Tesla

Por| 28 de Março de 2018 às 10h29

Link copiado!

Governo dos EUA inicia investigação sobre acidente fatal com veículo da Tesla
Governo dos EUA inicia investigação sobre acidente fatal com veículo da Tesla
Tudo sobre Tesla

O governo dos EUA anunciou a abertura de uma investigação sobre o acidente fatal envolvendo um Tesla Model X e dois outros veículos em uma autoestrada de Mountain View, no estado da Califórnia. O caso resultou na morte de um homem, que perdeu o controle do SUV da marca e bateu contra uma barreira lateral.

A principal questão do inquérito está relacionada à segurança de carros desta categoria, principalmente em relação à bateria, que teria sido a responsável por um grande incêndio que tomou conta do carro bem rapidamente. O fogo também seria a causa das colisões adicionais, com uma fumaça preta tomando conta da via e impedindo que os motoristas vissem o que estava adiante.

O caso aconteceu na autoestrada Highway 101, uma das principais vias de tráfego de Mountain View, na manhã do dia 23 de março. A vítima foi Wei Huang, de 28 anos, que chegou a ser levado para um hospital da região, mas morreu durante o atendimento. Testemunhas prestaram os primeiros socorros ainda no local, afastando-o do veículo em chamas com medo de uma explosão.

Continua após a publicidade

Os relatos, entretanto, são de horror e relatam que o veículo de Huang se transformou em uma “bola de fogo” assim que atingiu a barreira lateral. Testemunhas apontam para uma combustão na parte frontal do Tesla Model X, justamente onde está localizada a bateria do veículo elétrico. Imagens do acidente mostram a parte da frente do SUV completamente destruída, enquanto tudo o que restou da parte interna aparece queimado.

Não se sabe, entretanto, se o sistema de piloto automático do Tesla estava ativo no momento do acidente. Os carros da marca possuem uma tecnologia que permite ao motorista soltar o volante em vias bem sinalizadas, com uma plataforma de inteligência artificial assumindo a direção. Entretanto, o condutor deve ficar atento à estrada e preparado para tomar o controle em caso de qualquer eventualidade.

Essa é uma das questões que deve ser analisada pela Junta de Segurança do Departamento Nacional de Transportes dos EUA. A Tesla, em breve comunicado, disse estar prestando toda a cooperação não apenas à investigação federal, mas também às autoridades de Mountain View envolvidas no caso. No dia do acidente, inclusive, a empresa enviou um engenheiro ao local para auxiliar na remoção do veículo, prestar esclarecimentos de segurança e iniciar a coleta de dados.

Apesar de ainda não existirem conclusões sobre a responsabilidade das tecnologias da Tesla no acidente, o caso já está sendo comparado a outra colisão fatal, ocorrida em 2016. Na ocasião, o motorista Joshua Brown morreu após bater com um caminhão durante o uso da função de direção autônoma de um Model S, também nos Estados Unidos.

Após investigação, o governo concluiu que a fabricante foi apenas parcialmente responsável pelo acidente, por não inserir avisos de segurança ou indicativos de que a atenção do motorista era essencial mesmo durante o modo de direção autônoma, principalmente após períodos prolongados de uso. Não foram encontrados indícios de mau funcionamento da tecnologia.

Entretanto, o motivo da colisão teria sido a displicência do próprio Brown, que assistia a um filme enquanto trafegava em alta velocidade por uma estrada. O motorista do caminhão também foi responsabilizado por ter invadido a pista sem alertas.

Desde o acidente, a Tesla modificou o funcionamento de seu sistema de piloto automático, reduzindo a velocidade do carro até parar caso o motorista ignore sucessivos avisos de que precisa ficar atento à via. Sinais de inatividade, como a retirada das mãos do volante, também são detectados como indícios de que o condutor não está agindo da maneira adequada.

Fonte: NTSB (Twitter), NBC Bay Area